Contate-nos

Conversão de terminais

Atualização através da automação

Embora a automação seja mais natural em projetos de terminais novos, é possível converter terminais existentes – ou brownfield – para a automação parcial ou total. A transição ou pode ser feita passo a passo para evitar a perda de capacidade, ou por meio da expansão para uma área não utilizada anteriormente. Com base em nossa extensa experiência e ampla carteira de soluções inovadoras, podemos recomendar a forma mais apropriada para implementar a automação, levando em conta o tamanho do terminal, sua taxa de processamento, padrões de movimentação, região geográfica e equipamentos existentes. A pilha de AutoStrad é um modo econômico de introduzir a automação, e uma ponte rolante de empilhamento automatizada pode melhorar a capacidade, o desempenho, e reduzir os custos operacionais.

Opções de conversão de terminais

Os mais recentes projetos de terminais são personalizados para cada terminal individual e seus requisitos, combinando um conjunto das principais tecnologias de movimentação de contêineres. Como resultado, os benefícios da automação são cada vez mais acessíveis para terminais de todos os tamanhos.

Um dos exemplos mais interessantes é o terminal totalmente automatizado da TraPac em Los Angeles, EUA, que desvincula os ciclos de trabalho dos guindastes de cais e de pátio. O terminal combina três conceitos de automação: uma ponte rolante de empilhamento automatizada (ASC) com pilhas perpendiculares e paralelas, e uma pilha de AutoStrad diagonal. Os carros de pórtico elevatórios também alimentam a pilha da ASC. TraPac é um exemplo de conversão passo a passo de um terminal existente, no qual o porto permanece totalmente operacional durante o processo de atualização, sem nenhuma perda de capacidade.

A opção por uma pilha de AutoStrad é uma maneira de introduzir a automação mediante um investimento inicial relativamente baixo. Quando os volumes crescerem e a necessidade de uma maior densidade de pilha surgir, blocos de ASCs podem ser acrescentados. As AutoStrads ainda transportam contêineres até as pilhas de ASC e AutoStrad.

Outra opção é a atualização de uma pilha de RTG para uma pilha de ASC. Uma ASC com largura de oito pode empilhar até 25% mais contêineres que as RTG tradicionais com pilhas de seis ou sete de largura, oferecendo o benefício de maior capacidade do terminal e melhor desempenho com baixos custos operacionais.