Contate-nos

História do setor

Tornando possível o comércio global

Desenvolvidas nos anos quarenta e cinquenta, as remessas por contêiner transformaram o comércio internacional ao reduzir o custo de produtos e bens, revolucionar os portos e prazos de transporte, e diminuir perdas. O contêiner, idéia criada pelo americano Malcolm McClean, pode ser carregado, descarregado, empilhado e transportado sem ser aberto. Hoje os navios porta-contêineres – frequentemente as maiores embarcações comerciais oceânicas – levam aproximadamente 60% do comércio via marítima por ano, em termos de valor. A melhoria e o desenvolvimento dos equipamentos, como a automação, aumentaram a velocidade da movimentação e também a eficiência e segurança nos terminais do mundo inteiro.

A caixa que revolucionou o mundo 

O contêiner de metal substituiu o tradicional método fracionado/a granel por uma caixa padronizada que pode ser carregada, descarregada, empilhada e transportada sem ser aberta. A invenção de Malcom McLean foi um facilitador fundamental da globalização. Os operadores de comércio internacional rapidamente reconheceram o potencial do transporte em contêineres. Os padrões internacionais sobre o tamanho dos contêineres acordados em 1961 abriram o caminho para o transporte internacional em contêineres.

A introdução de sistemas de movimentação mecanizados permitiu que a descarga dos enormes navios porta-contêineres para caminhões e carretas, ou de guindastes para empilhadeiras fosse feita com rapidez e eficiência, e também com segurança e precisão. Na medida em que aumentava a capacidade dos navios, os portos modernizavam suas instalações de movimentação de carga. Os modernos navios porta-contêineres podem levar mais de 18.000 unidades equivalentes de vinte pés (TEU). 

Desenvolvimento da movimentação e automação de contêineres

Os modernos equipamentos de movimentação de contêineres como straddle carriers, reachstackers, e guindastes móveis de pátio aumentaram a velocidade da carga e descarga, bem como a eficiência dos terminais.

A automação também representa um enorme papel na redução de custos, aumentando a eficiência operacional e o tempo de operação , melhorando o rastreamento dos contêineres e muito mais. A história da automação dos terminais de contêineres começou cerca de 20 anos atrás. O primeiro terminal automatizado do mundo foi o ECT Delta nos Países Baixos, que entrou em operação no início da década de 1990. Em seguida veio o Terminal HHLA CTA de Hamburgo, Alemanha, em 2000. Em 2005, a primeira fase do terminal Patrick’s AutoStrad(TM)  entrou em operação no Porto de Brisbane, Austrália. Além dos projetos pioneiros, os operadores estão cada vez mais interessados em automatizar seus terminais existentes.

Leia sobre a história e os marcos referenciais da Kalmar